#Guitarrista

Artigos

Mika Pedals: Entrevista com Amilcar Soares

Publicado há

-

Fundada por Amilcar Soares, a Mika Pedals compromete-se a criar pedais de efeitos personalizados para guitarra e baixos, apostando igualmente na recriação de circuitos já descontinuados ou clássicos, assumindo o grafismo e a electrónica de cada projecto como verdadeiras obras de arte. Mestre de si próprio, Amilcar Soares entrou no universo dos pedais através da aquisição de livros antigos, iniciando um processo de aprendizagem governado pela paixão e que eventualmente o conduziu a um curso de electrónica na modalidade de ensino à distância. «Devido à minha formação musical, comecei a fazer pedais de guitarra para mim em 2005», conta o técnico à Guitarrista. «Mais tarde fui desafiado por alguns amigos para fazer para eles e foi em 2009 que surgiu a Mika Pedals, que está relacionada com o diminutivo do meu próprio nome.» Mais de uma década depois, a Mika Pedals sustenta um legado em constante crescimento, reunindo uma selecção de clientes que vão desde a Coruña, na vizinha Espanha, até aos limites de Portugal.

«Um dos principais objectivos é a diferenciação, ou seja, criar pedais com um design personalizado e diferente da oferta standard do mercado, normalmente com sugestões do próprio destinatário», explica quanto ao que distingue a Mika Pedals no mercado. «Um outro propósito é recuperar alguns circuitos descontinuados, cujos pedais ainda são muito procurados, ou descobrir circuitos dos quais a maioria desconhece a existência. Em muitos casos, introduzo melhorias na qualidade dos componentes ou algumas modificações conforme as necessidades. Por exemplo, um pedal originalmente para guitarra ser adaptado para baixo, ou inserir mais médios, graves e agudos no timbre final do efeito.» E porque o utilizador também ouve com os olhos, a Mika Pedals não descarta a importância do design no produto final: «Sigo um pouco o estilo dos pedais ‘moollon’, tendo realizado designs personalizados através de um processo de ‘etching’ gravado com ácido na própria caixa de alumínio.» Mas no que respeita a técnicas não se fica por aqui: «Existem outros casos de design mais standard em que algumas bandas pretendem a inserção do respectivo logotipo, etc. Normalmente cada pedal é único e personalizado, sendo que faço antecipadamente uma ou mais maquetes/templates para sugestão e aprovação.»

Da Mika Pedals podemos esperar todo o tipo de projectos contando que não violem qualquer tipo de direitos de autor. «É possível fazer qualquer pedal cujo circuito esteja disponível publicamente, ou seja, sem restrições de direitos de autor», comenta Amilcar Soares. «No caso de alguns circuitos ainda estarem com reservas desta natureza, é possível desenvolver um circuito equivalente, e um pedal com um som exactamente igual ou melhor, com a inserção de mods, ou seja, alterações manuseáveis pelo guitarrista.» A lista de pedais disponíveis para fabrico por parte da Mika Pedals é extensa mas pode ser conhecida mediante um contacto directo com o fabricante, no entanto as unidades de efeitos posicionam-se nos espectros do fuzz, overdrive, distortion, autowah, delay, reverb, chorus, tremolo, octave, compressor, phase, simulators e splitters, assim como unidades didácticas como será o caso do pedal organ, cuja funcionalidade passa por simular o som de um orgão com a guitarra.

A Mika Pedals tem presença online nas redes sociais e em mikapedals.pt