#Guitarrista

Artigos

Melhor de 2022 – Amplificadores: Line 6 Catalyst

Publicado há

-

Com assinatura da Line 6, os três novos combos Catalyst de dois canais apresentam o mesmo funcionamento dos amplificadores tradicionais de guitarra com a vantagem de assegurar a versatilidade acrescida de unidades modernas, dividindo-se em seis tipos de amplificadores originais que, com recurso à avançada tecnologia HX de design de som, cobrem desde os sons limpos aos mais contemporâneos de alto-ganho, aos quais se juntam controlos tradicionais de volume, gain, tone e reverb.

Do modelo de 200 watts Catalyst 200 (capaz de se aguentar por si só em praticamente todos os palcos) à unidade de 60 watts Catalyst 60 (perfeito para praticar, gravar e actuar em pequenos palcos), a família Catalyst assegura que existe um amplificador para cada músico. O trio de novos combos, em que ainda só faltou mencionar a unidade de 100 watts, são adequados tanto a ambientes de estúdio como ao vivo, dispondo de saída XLR e uma interface de gravação USB de 4 canais. Os Catalyst vêem ainda incluídos circuitos Boost personalizados para cada tipo de amplificador, secção de Reverb dedicada com seis tipos de efeitos, 18 efeitos adicionais em que se inserem seis opções para Modulation, Delay e Pitch (todos os efeitos são retirados das celebradas livrarias de efeitos HX e Legacy), loop e entrada Power Amp para que o Catalyst seja utilizado como uma coluna. Os combos dispõem ainda de capacidade MIDI (versões de 100 e 200 watts) e opções de atenuação de energia para que seja possível tocar em qualquer volume. Para além dos efeitos incluídos, o utilizador tem a vantagem de poder trabalhar e guardar a autenticidade do seu timbre, bastando para isso premir o botão de efeitos para activar o efeito actualmente seleccionado, ajustar os níveis dos potenciómetros Effect e Tap, manter premido o botão Effect para entrar no modo de selecção e utilizar o potenciómetro de selecção para escolher entre os modelos disponíveis. Como não podia deixar de ser, apesar do visual tradicional, os modelos Catalyst fazem-se acompanhar de uma app grátis compatível com desktop e dispositivos móveis, permitindo ao utilizador acesso a amplas capacidades de edição. Ao comprar um combo Catalyst, é ainda possível optar por acrescentar um footswitch LFS2 para uma maior flexibilidade e uma cobertura para protecção.

Os novos Line 6 Catalyst saltam à vista em ambientes de gravação doméstica, com as opções de meia-energia e 0.5 watts a apresentarem-se como ideais para recorrer ao uso de microfones com níveis de volume razoáveis. A interface de gravação USB de quatro canais é igualmente útil para gravar sem ruídos, a par com a saída XLR. O Catalyst é uma caixa de ferramentas perfeita para capturar timbres versáteis, contando com secções dedicadas para o reverb e o boost para além dos seis tipos de amplificadores originais oferecidos. O circuito do boost encontra-se optimizado para cada um dos amplificadores diferentes, conseguindo capturar desde overdrives subtis até uma sonoridade bem mastigada. Os fãs de reverbs podem ainda dispor de seis efeitos distintos que se podem complementar com os 18 efeitos adicionais preparados para aqueles que não perdem tempo em desbravar novos caminhos sónicos.

Ao contrário de outras propostas digitais, os combos Catalyst não se encontram sobrecarregados com centenas de efeitos que nunca irás usar, apostando num painel de controlo tradicional e intuitivo que ainda assim te permite explorar muito mais do que aquilo que te é apresentado à superfície. As seis vozes dividem-se em Clean, Boutique, Chime, Crunch, Dynamic e Hi Gain, com cada amp a obter um boost especial para retirar o melhor destas opções. Podemos encontrar potenciómetros para Bass, Mid, Treble, Presence, Gain e Master Volume, assim como os já mencionados controlos para as secções de boost e efeitos, e um botão tap para os tempos que também actua como afinador. Dentro da categoria dos reverbs, os novos Catalyst disponibilizam as opções Spring, Hall, Chamber, Plate e dois originais Line 6. As opções no que ao delay diz respeito definem-se por Simple, Vintage, Transistor Tape, Adriatic, Dual e Ducking. Já as opções de modulação incluem PlastiChorus, Optical Trem, Script Mod Phaser, Grey Flanger, Ubiquitous Vibe e Rotary. A finalizar, temos as opções de pitch que são disponibilizadas da seguinte forma: Bass Octaver, Growler, Pitch Harmony, Pitch Shift, Tycoctavia Fuzz e Synth String. Destaque ainda para o hum artificial que se obtém a partir do noise gate para obter o máximo da identidade e robustez dos amplificadores valvulados. À saída XLR juntam-se três emuladores de cabinets e uma selecção de microfones virtuais, com todos os parâmetros a serem definidos através do software de edição Catalyst e onde poderás encontrar controlos para edição avançada de efeitos, incluindo posicionamento de preamps.

Ao nível da sonoridade, os novos Catalyst são extremamente responsivos e captam perfeitamente a dinâmica do músico, o que faz desta experiência algo de sensacional. Mais inclinados para sons limpos, as necessidades de distorção são apenas satisfeitas com as opções Crunch e Hi Gain. Mas não se deixem enganar pela aparente escassez, pois na verdade estas opções dispõem de tamanha flexibilidade que conseguimos obter qualquer tipo de timbre que surgir primeiramente na nossa imaginação, especialmente com o impressionante modo Hi Gain, que carrega níveis interessantes de clareza e dentada em notas e acordes graves, não esquecendo a sensibilidade que se requer dos leads.

Tudo isto é conseguido através de opções bastante económicas, como podem consultar abaixo:
Catalyst 60 (60 watts, 1 x 12″) = 305€ + IVA
Catalyst 100 (100 watts, 1 x 12″) = 415€ + IVA
Catalyst 200 (200 watts, 2 x 12″) = 539€ + IVA