#Guitarrista

Artigos

Lynyrd Skynyrd: A História de Free Bird

Publicado há

-

«O Ronnie (Van Zant) disse que não iria conseguir escrever uma letra para uma música assim, em que aconteciam muitas coisas ao mesmo tempo. Não conseguia chegar lá. Não conseguia perceber o que tínhamos ali.»

Gary Rossington (guitarrista)

Poucas foram as músicas que definiram uma banda ou um género no seu todo como Free Bird foi capaz de o fazer. Uma ode à liberdade na estrada e às pessoas que deixamos para trás, Free Bird não foi o maior sucesso comercial dos Lynyrd Skynyrd, cabendo esse mérito a Sweet Home Alabama ou That Smell, mas foi sim o tema que carimbou o passaporte da banda de Jacksonville para a imortalidade, tornando-se num hino não oficial do southern rock no processo.

«Fala sobre o significado de se ser livre, de como um pássaro pode voar para onde quiser», explicava Ronnie Van Zant na década de 1970. «Todos queremos ser livres. Os Estados Unidos foram erguidos à volta dessa ideia.» As raízes dos Lynyrd Skynyrd foram plantadas em 1964, quando o vocalista Van Zant e os guitarristas Allen Collins e Gary Rossington, assim como o baterista original Bob Burns, se conheceram num jogo de basebol e decidiram formar uma banda, e Free Bird era primeiramente esquematizada por Collins: «Foi uma das primeiras coisas que ele compôs», recorda Rossington, o único membro sobrevivente da formação original. «Só tinha trabalhado em duas ou três músicas antes desta.» Collins apresentou a ideia aos seus colegas e obteve reacções mistas. «O Ronnie achou que existiam muitas mudanças de acordes», diz Rossington. «Disse que não iria conseguir escrever uma letra para uma música assim, em que aconteciam muitas coisas ao mesmo tempo. Não conseguia chegar lá. Não conseguia ouvir o que tínhamos ali.» Embora o vocalista tivesse expressado a sua teimosia, tal não impediu que a dupla de guitarristas continuasse a trabalhar no tema, ainda que não lhe dessem um tratamento diferente de qualquer outra música do seu repertório. Esta atitude depressa mudaria depois de um concerto em que tocavam Free Bird pela primeira vez ao vivo. «Tocámos a música mas só a parte lenta. Ainda não tínhamos o jam no final. A performance terminou antes das guitarras entrarem mas já estava toda a gente apanhada com a música. Aplaudiram-nos bastante.»

Uma demo desta versão mais curta era gravada em 1970, mas ao vivo pedia mais, e Collins e Rossington acrescentaram camadas de guitarra gradualmente. Minuto a minuto, a faixa foi ganhando vida e, qual intervenção do destino, Ronnie pede para descansar a voz uns momentos depois de ter sentido dores, ficando o protagonismo da performance completamente nas mãos dos guitarristas, que partiram para um duelo de solos com a duração de dez minutos e que fez todos os elementos perceberem que a sua criação sempre tinha uma história maior para contar do que aquela que se pensava.

Collins e Rossington acertaram a segunda parte do tema, Billy Powell trabalhou os arranjos da introdução e os Skynyrd davam entrada no estúdio Muscle Shoals, no Alabama, para gravar o que pensavam ser o seu álbum de estreia. As gravações no Muscle Shoals permaneceriam fechadas numa gaveta por cinco anos, até serem dadas a conhecer ao público em 1978. Free Bird, no entanto, seria recuperada na edição de Pronounced ‘Leh-’nérd ‘Skin-’nérd, mas agora com o cronómetro a marcar nove gloriosos minutos. «O que o Ronnie fez de diferente em relação a tantas outras bandas, foi o seu desejo de ter uma banda que soasse da mesma forma todas as noites», diria o produtor Al Kooper. «Ele não tinha interesse em improvisar e cada parte de Free Bird foi planeada antes sequer de eu ter aparecido. Cada um dos solos era tocado na sua forma final. Nunca conheci uma banda capaz de fazer isso. Eram fantásticos.»

A editora dos Lynyrd Skynyrd mostrou-se relutante em editar Free Bird como single, considerando o tema demasiado longo para ser um hit. Contudo, a faixa ganhou vida própria e até os mais cépticos não tiveram outra hipótese senão reconhecer a sua grandeza. Free Bird tornou-se um êxito em 1974, mais de um ano após o lançamento original, e hoje, mais de 40 anos depois de Ronnie Van Zant ter falecido num acidente de aviação, Free Bird permanece a música de assinatura dos Lynyrd Skynyrd e um dos alicerces do rock clássico, não havendo escolha melhor – ou mais romântica – para servir de banda sonora numa qualquer viagem.

Artigo publicado originalmente na edição de Janeiro de 2021 da Guitarrista.