#Guitarrista

Artigos

[GEAR] Dr Chris & The Redeemers: Guild M-75 Aristocrat

Publicado há

-

Depois do próprio Dr Chris do colectivo de blues australiano Dr Chris & The Redeemers, o guitarrista ritmo Mark Munchenberg partilha também algumas curiosidades sobre a sua Guild Aristocrat e um amplificador que construiu à imagem da unidade vintage Fender Tweed Super.

Guitarra: «O modelo Aristocrat combina duas das minhas características favoritas numa guitarra: a construção tradicional hollow-body e o som vintage de um pickup ao estilo P90. Ainda assim, a Aristocrat recebe alguns apontamentos que a tornam diferente de qualquer outra guitarra com a qual já tenha tocado. Dispõe de topo em spruce com costas e ilhargas em mogno, o que não é muito comum numa guitarra hollow em que a combinação mais usual é spruce com maple. É também muito mais pequena que a maior parte das hollowbodies, tendo o tamanho de uma Les Paul mas metade do seu peso. Finalmente, os pickups não são exactamente P90’s mas sim recriações dos originais Guild Franz. Comparados com os Gibson P90, os pickups Franz possuem ímanes mais fortes com menos voltas no coil, o que cria um output mais forte com menos médios e mais qualidade hi-fi. Isto faz com que a guitarra adopte uma voz distinta, muito aberta e espaçosa, com muito detalhe e ainda capaz de puxar pelo input do amplificador em palco. É muito versátil, percorrendo toda a gama de jazz, blues, country e rock.»

Amplificação: «O meu amplificador de escolha é um clone de um Fender Tweed Super. Foi construído para mim há quase 20 anos e imita toda a ligação e construção, com cabinet em pinho sólido e as melhores partes disponíveis na altura, como condensadores Sprague e drops Orange. Também apliquei válvulas de preamp Mullard Blackburn da década de 1950 que foram resgatadas de um velho orgão e personalizei um circuito do original 5F4 que possuía um transformador Victoria Bassman que me concedeu graves tremendos e um ataque muito rápido, com a qualidade de um piano. A outra diferença é que adoro a sonoridade dos Vox, pelo que ao invés das colunas Jensen 10″ escolhi Weber Alnico blue Dogs de 12″ com pre-Rola. O mesmo fabricante, a Cowboy Amps de Perth Western Australia, também me construiu uma réplica exacta de um spring reverb da Fender do início da década de 1960 que uso constantemente. Experimentei e adquiri muitos amplificadores desde então mas nunca outro setup chegou aos calcanhares deste. A interacção entre a minha Guild e este amp é perfeita!»

Efeitos: «A minha abordagem ao timbre baseia-se no máximo possível que posso extrair de uma sonoridade limpa. Gosto de expansão, harmonia, detalhe e sustain, pelo que um excelente reverb é essencial. Adoro um bom spring reverb mas se não conseguir usar o verdadeiro, então uma alternativa credível é o pedal Catalinbread Topanga. Clean boosts e overdrives a válvulas são também os meus preferidos. Tenho um Friedman Buxom Boost e um Vox Big Ben Overdrive na minha pedal board. São ambos muito transparentes e trabalham muito bem com o amp e potenciómetro do volume da guitarra.»